Thursday, May 21, 2020

Uma lenda...

... que encontrei num belo
recanto lousanense!!!


Neste belo painel
podemos ler uma lenda
da autoria de um homem da terra
que encheu o pátio da sua casa
com poesia!!! 



Este é um deles! 
Vale a pena ler:





Friday, May 15, 2020

Sunday, May 10, 2020

Friday, May 1, 2020

Colorir a vida...


Para quê escureceres a vida
... quando a podes colorir!? 

O que faço é tentar
pintar com palavras
as minhas fantasias 
diante do assombro
que é a VIDA!!! 
(Rubem Alves)

Tuesday, April 21, 2020

Sem MEDO...


Também encontrei em Coimbra! 
Escrita inteligente e como
estamos prestes a recordar
o 25 de Abril... escolhi este olhar! 

METADE

Que a força do medo que tenho
Não me impeça de ver o que anseio;
Que a morte de tudo em que acredito
Não me tape os ouvidos e a boca;
Porque metade de mim é o que eu grito,
Mas a outra metade é silêncio...

Que a música que eu ouço ao longe
Seja linda, ainda que tristeza;
Que a mulher que eu amo seja pra sempre amada
Mesmo que distante;
Porque metade de mim é partida
Mas a outra metade é saudade...

Que as palavras que eu falo
Não sejam ouvidas como prece
E nem repetidas com fervor,
Apenas respeitadas como a única coisa que resta
A um homem inundado de sentimentos;
Porque metade de mim é o que ouço
Mas a outra metade é o que calo...

Que essa minha vontade de ir embora
Se transforme na calma e na paz que eu mereço;
E que essa tensão que me corrói por dentro
Seja um dia recompensada;
Porque metade de mim é o que penso
Mas a outra metade é um vulcão...

Que o medo da solidão se afaste
E que o convívio comigo mesmo
Se torne ao menos suportável;
Que o espelho reflita em meu rosto
Um doce sorriso que me lembro ter dado na infância;
Porque metade de mim é a lembrança do que fui,
A outra metade eu não sei...

Que não seja preciso mais do que uma simples alegria
para me fazer aquietar o espírito
E que o teu silêncio me fale cada vez mais;
Porque metade de mim é abrigo
Mas a outra metade é cansaço...

Que a arte nos aponte uma resposta
Mesmo que ela não saiba
E que ninguém a tente complicar
Porque é preciso simplicidade para fazê-la florescer;
Porque metade de mim é platéia
E a outra metade é canção...

E que a minha loucura seja perdoada
Porque metade de mim é amor
E a outra metade... também.

Oswaldo Montenegro

Monday, April 13, 2020

Alguém traduza!?


Há malícia neste registo 🤔😊
Li... já algum tempo... numa
ruela em Coimbra!!! 

Wednesday, April 1, 2020

Filha da noite!


Li algures em Coimbra
e agora que a cidade
se parece com a noite
de tão vazia que está 
a minha escolha é:


Como a Noite é Longa!

Como a noite é longa!
Toda a noite é assim...
Senta-te, ama, perto
Do leito onde esperto.
Vem p’r’ao pé de mim...

Amei tanta coisa...
Hoje nada existe.
Aqui ao pé da cama
Canta-me, minha ama,
Uma canção triste.

Era uma princesa
Que amou... Já não sei...
Como estou esquecido!
Canta-me ao ouvido
E adormecerei...

Que é feito de tudo?
Que fiz eu de mim?
Deixa-me dormir,

Dormir a sorrir
E seja isto o fim.

Fernando Pessoa, in "Cancioneiro"
// Consultar versos e eventuais rimas