Friday, May 19, 2017

Porque corres rio Mondego?


Entre as pedras livremente
Vais descendo lá da serra
Para vires de tangente
Dar um beijo à minha terra.

Rio Mondego, quero ter,
A resposta verdadeira,
Porque vais sempre a correr
Da Estrela até à Figueira.

Mas isso é velho segredo,
Bem traçado nos teus planos,
Escondido no arvoredo
Sabe Deus, há quantos anos.

Quando passas em Coimbra
Ouves o fado do estudante,
Sem sequer teres ainda
Lá parado um só instante.

Continuas o teu caminho
Mostrando ser o maior,
A dizer muito baixinho
Um adeus a Montemor.

Nos braços levas pró mar
No turbilhão das tuas águas,
Ao de cima a baloiçar
Alegrias, dores e mágoas.

À Figueira tu vais ter
Após tanto caminhar
E finalmente poder
No oceano descansar!!!

Rama Lyon
...
Um conjunto de fotos tiradas junto ao rio mondego:













Durante o dia
... exceto nas horas de calor ...
ou ao entardecer
um passeio a não perder!

5 comments:

  1. Adorei o poema, a fazer justiça ás belas imagens que o acompanham! =)
    Beijinhos,
    http://chicana.blogs.sapo.pt/

    ReplyDelete
  2. Belo poema com excelentes imagens. Adorei


    Beijinhos e bom fim de semana

    ReplyDelete
  3. Partilho o mesmo goto por poesia! Gostei muito!

    ReplyDelete
  4. Um poema de quem ama deveras esse rio e os olhares
    de zonas ribeirinhas, encantam-me...
    Beijinhos, Gracita.
    ~~~~~~~~~~~

    ReplyDelete